18/12/2012

Mais sobre a magia...

Olá a todos :) Eu (Gonçalo Rodrigues) vou abrir uma nova rubrica intitulada "Mais sobre a magia..." e todos os meses, vou-vos trazer a história de uma pessoa que teve muita importância na Disney! Espero que gostem!
Este mês, vamos apresentar-vos Walt Disney :)

Cliquem em "Ler Mais..." para verem a história deste lendário dos desenhos animados!
Os Estados Unidos da América viram nascer, a 5 de Dezembro de 1901, aquele que viria a ser um homem inesquecível para gerações a fio. Walter Elias Disney começou em explorações agrícolas e, só depois de passar por distribuidor de jornais, é que despertou para o mundo da animação, avançando com versões prórpias de bandas desenhadas de Charles Chaplin.

Incontornavelmente as artes faziam parte de si e, aos 16 anos, apostou por completo naquilo que o fazia feliz, dedicando-se ao que realmente gostava. No entanto, na altura, em 1917, a 1ª Guerra Mundial deflagrava e o espírito de Walt conduziu-o à nobre acção de ajuda na Cruz Vermelha, deixando o estudo das artes para mais tarde. Só em 1919 a Kansas City Arts School acolheu Disney, para trabalhos que viriam a culminar num despedimento duplo, a par do companheiro Ub Iwerks.

Uma garagem veio a revelar-se o primeiro estúdio de animação de Walt, mas os lucros não foram suficientes e o projecto acabou por falhar. Ainda assim, a convicção nos seus sonhos foram a chave, e, não se deixando derrotar pelo primeiro obstáculo, Disney virou-se, então, para uma nova garagem, ou seja, um novo estúdio de animação, desta feita cedido pelo seu tio Robert. Contactos com uma distribuidora procurando alguém que se interessasse pela nova série animada que andava a planear, “Alice Wonderland”, conduziram aos primeiros sinais de sucesso com a ajuda do irmão Roy Disney. A ponta do majestoso império Disney que se viria a formar estava já a descoberto e assim nasceu “The Walt Disney Brothers Studios” em 1923.
Ao primeiro êxito sucedeu uma nova série de nome “Oswald The Lucky Rabbit”, criado em 1927, embora sem aceitação imediata por parte do público. É então que surge, novamente, Ub Iwerks, juntando-se a Walt na concepção de um novo e melhorado Oswald, protagonizando a primeira curta-metragem do estúdio. Infelizmente, a distribuidora apoderou-se na nova personagem, aclamando-a sua e não como pertencente a Walt. Uma vez mais, os obstáculos não foram suficientes para impedir Disney de continuar a sua escalada na construção de um mundo mágico. Um telegrama enviado ao irmão Roy Disney, muito relembrado hoje em dia, anunciou o nascimento de uma nova idea – Mickey Mouse estava a caminho e, com ele, aproximava-se o nascimento da Disney que hoje conhecemos!

O sucesso da nova personagem só foi complementado com o som sincronizado aos desenhos animados: “Steamboat Willie” foi a curta-metragem cobaia, e aquela que revelou uma vontade inacreditável de inovação face ao que era conhecido na altura. A novidade valeu a Walt uma nova distribuidora, novos colaboradores, e o começo da grande companhia de animação. Donald, Pateta, Pluto e Minnie juntaram-se, anos mais tarde, a Mickey, e completaram o grupo das personagens mais famosas de Walt Disney.

Como ‘inovação’ era a palavra de ordem em tudo o que Walt fazia, a música e as cores vieram afirmar-se, cada um a seu tempo, como elementos fundamentais nas suas animações, sendo que nunca mais as abandonaram até aos dias de hoje! A recompensa merecida acabou por surgir e, os Óscares começaram a ser uma constante em várias criações originais!

Querendo sempre mais e mais, as curtas-metragens revelavam-se insuficientes face ao êxito da companhia e foi então que Walt pensou na primeira longa-metragem. Não obstante a descrença geral no projecto de tão grandes dimensões, Disney insistiu e a sua preserverança culminou em “Branca de Neve e os Sete Anões”, em 1937. Desde então, a individualidade e toda a qualquer personagem criada era garantida não só pelas técnicas de animação, mas também pela paixão e entrega com que todos os 300 trabalhadores desenvolviam as criações. O sucesso estrondoso apoderou-se da companhia e a evolução foi uma constante ao longo dos anos, com novos processos e formas de dar vida a desenhos encantadores.

Foram os lucros de Branca de Neve que deram origem à construção dos verdadeiros “Walt Disney studios” em Burbank, com condições apropriadas à produção dos filmes seguintes, com uma qualidade melhorada.

A 2ª Guerra Mundial atrasou a conclusão dos novos projectos, mas nenhum deles foi esquecido e, assim que a situação mundial voltou a estabilizar, os trabalhos foram retomados (embora pequenas criações tenham sido desenvolvidas durante os conflitos, de modo a aliviar a tensão que se vivia). Chegando a uma época de impasse, alguns anos mais tarde, o estúdio via-se face a um dilema: ou avançaria para uma nova longa-metragem, ou o estúdio entraria em colapso. Estando disposto a tudo, menos a perder tudo aquilo para que trabalhara, Walt não se deixou intimidar e escolheu Cinderela para salvar os “Walt Disney Studios”, uma aposta certeira dado o entusiasmo com que foi recebida! 

Pouco tempo depois, o live-action tornou-se num membro da família naqueles estúdios, de modo a enriquecê-lo, mas sem nunca subjugar a animação, a grande estrela de Walt! Por volta de 1955, o êxito era já de tamanha dimensão que a influência Disney ultrapassou barreiras e conquistou o seu espaço na televisão – novamente uma aposta certeira de Walt.

Muitos êxitos mais tarde, Walt Disney veio a falecer, com 65 anos, no dia 15 de Dezembro de 1966, para grande tristeza de todos aqueles que o estimavam e admiravam. Mas tal acontecimento jamais ditou o fim da sua influência no mundo da animação, muito pelo contrário: o incontestável legado foi preservado e todos os seus animadores deram-lhe a merecida continuidade! 

Mundos detalhadamente concebidos, onde imperam as emoções através tanto dos desenhos como dos sons trabalhados ao mais ínfimo pormenor, são a chave para todas as criações que vieram a revelar-se verdadeiras obras-primas. Conduzido pelo seu lema “If You Can Dream It, You Can Do It” (Se Consegues Sonhá-lo, Consegues Fazê-lo), Walt Disney foi e continua a ser a prova viva de que a preserverança face aos obstáculos é o primeiro passo na sinuosa escalada pela realização dos sonhos. Deste modo, existem duas palavras que, com certeza, qualquer fã Disney lhe gostaria de deixar. Da nossa parte, um “Muito Obrigado!”.


Fonte : ptdisney.blogspot.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário

Lê antes de fazeres o teu comentário:
- Os comentários do blog não são moderados.
- Aceitamos comentários em anónimo
- Publica comentários apenas relacionados com o conteúdo do post/página.
- Não coloques links de artigos do teu blog.
- Apenas coloca o link do teu blog na página de Parceria!
- Não nos insultes pois somos cidadãos normais como vocês!
- Diverte-te a comentar!